sexta-feira, 13 de julho de 2012

Segundo Pai

Hoje não é um dia feliz, eu posso sorrir pra você, balançar a cabeça e concordar com o que quer que seja. Mas não vai mudar meu conceito sobre um dia triste. Podem parar com todas as guerras no Oriente Médio hoje, mas pra mim ainda vai ser um dia triste. Podem me dar um prêmio, mas ainda lembrarei que há um ano atrás eu tive uma grande perda.
Ao meu avô Zé de Castro, eu sempre lembrarei, sempre beberei café queimando a língua como ele fazia, vou tratar as pessoas educadamente como ele me ensinou, vou ficar calado quando deverei ficar e vou sentir saudades suas.
Meu coração aperta quando lembro que não posso abraçar quem eu queria agora, tudo que eu queria era poder ver a Dona Vivinha e dizer em seu ouvido, eu te amo vó, tô aqui por você.