sábado, 6 de outubro de 2012

Paternal

Pode ser um cansaço, ou a velhice batendo a minha porta...Ou apenas uma das crises que me pegam no meio da madrugada. Mas é que eu lembrei daquela noite fria, que eu me escondi de baixo do cobertor e fiquei ouvindo sua voz me contar uma história da época de sua infância.
Lembrei de você contando de quando o vô ficava furioso com seus irmãos. E você sempre teve medo né? É, eu sei. Lembra desse dia? Eu era pequeno, mas lembro bem. Acho que eu tava doente, lembro de um remédio ruim na boca. E uma tentativa de vômito.
Lembra pai? Lembra dos velhos tempos do video game? Lembra de você fazendo piadinhas com minha barriga? Do Freddy Mercury cantando no carro? Nas viagens a roças desconhecidas ao som do Alan Jackson? Dos shows programados que nunca fomos?
Tem muita coisa pra lembrar né? Acho que eu poderia escrever um livro só com minhas histórias que passei do teu lado, ou então, eu poderia escrever um livro do que eu aprendi contigo. Mas não quero escrever esse porque sei que vou aprender muito mais.