quinta-feira, 8 de novembro de 2012

carta 2.


Algum lugar no espaço perto de Beta Ursa Menor

Caro amigo,

Lembro da última vez em que escrevi para ti, eu estava deitado sobre uma planície calma de um planeta. Lembro de ter contado sobre as noites calmas, o deserto quente, mas agora te  digo que não estou mais naquele lugar. Acho que encontrar planetas para habitar é mais difícil do que imaginávamos, saí do planeta antigo por vários motivos. Mas você conhece a minha chatice para escolher as coisas, gosto de cada detalhe, cada pedaço em seu lugar. Acho que vai demorar encontrar outro. Recebi sua carta há pouco tempo, quero saber mais sobre esses automóveis que não utilizam do petróleo. Que interessante!
Depois que saí do planeta, resolvi ficar um pouco no espaço aproveitando a gravidade zero. Mas deixa-me falar uma coisa. A gravidade zero é insuportavelmente chata. Não tem graça nenhuma ficar flutuando por vários dias e batalhando para escovar os dentes, machuquei minha boca muitas vezes. E o infinito do espaço? É cansativo. Muito. Você se sente bem nos primeiros minutos, depois você percebe que não é nada ali. Nada meu caro amigo. Nada.
Passei em alguns planetas, alguns por apenas um dia, conheci pouco, mas pulei logo que me acomodei. Acho que não quero me acomodar assim de repente. Quero me acostumar com o planeta aos poucos, você me entende?  Quero chegar e conhecer aos poucos, quero me aventurar com cautela, quero que o calor do planeta que eu conhecer seja quentinho, não avassalador e que me machuque. Certas vezes passei por planetas interessantes, planetas que eu pensei que poderiam valer o esforço. Mas agora pensando aqui, eu ter saído com medo foi uma baita burrice.
Mas esse tempo no espaço me fez aperfeiçoar técnicas na astronomia, ah meu amigo, encontrei tanto trabalho nesses últimos meses que até esqueci-me de procurar planetas, só os que apareceram na minha viagem é que eu realmente pousei minha pequena nave. Tanto trabalho que as vezes vou dormir cansado e acordo mais cansado ainda, mas é o que tem me motivado a ficar no espaço, a ficar aqui sentado olhando o preto infinito.
Espero que na Terra esteja tudo bem, espero que tenha encontrado o seu planeta. Soube que você desistiu de viajar para o espaço, caso não tenha, lembre-se de levar uma capa de chuva. No espaço não chove, mas toda vez que você for abandonar algum planeta, meu grande amigo fica a dica, as vezes uma chuva imensa pode te pegar. Mande lembranças a sua mãe, diga que sinto saudades do pão de mel que ela fazia.



Michael Maia
Viajante no espaço há algum tempo.